terça-feira, 29 de setembro de 2009

Amar..


Bom mesmo, seria se eu pudesse dizer adeus sem perder a calma. É que mesmo os melhores finais, sempre doem. E independente do motivo da despedida - as vezes porque poderia ter sido melhor, outras por ter sido maravilhoso e acabou - o vazio que fica sempre é incomodo.
Ah, e esse amor, que tanto nos engana... Quando em excesso prejudica, quando em escassez piora. O jeito, parece, é tê-lo em medida certa.
Amor na medida certa, a gente acaba se perdendo na medida. E qaundo é amor mesmo, é desmedido de grandezas e limites, cresce sem a gente se dá conta...
Perdi muito tempo medindo amores... Acho que agora é que eu tô abrindo os olhos!

18 comentários:

Priscila Rôde disse...

O Adeus dói sim, esses assunto mexem comigo. Você não sabe o quanto.

Obrigad pelo selo, adoro recebê- l os e fico feliz por isso. Muito,muito obrigada!

Beijos!

Uênia Barros disse...

Que lindo aqui! *-*
seguindo vc ;♥

Caroline Farias disse...

ameeeeei, mais um de seus textos apaixonantes!

beeijo ;*
P.S.: tem post novo lá no blog .

tai do nascimento disse...

que liiindo *_*
to babando

Pedaços de Tempo disse...

Olá querida Clarinha,

Antes de mais, desculpa se não tenho deixado os meus habituais comentários.. mas, tenho andado muito ocupado. O tempo é algo não conseguimos agarrar e muito menos recuar! Infelizmente..

“Amor na medida certa, a gente acaba se perdendo na medida. E quando é amor mesmo, é desmedido de grandezas e limites, cresce sem a gente se dá conta...”, adorei esta passagem do teu “Amar..”! Sem dúvida que, cresce sem a gente se dá conta e quanto mais cresce, mais queremos...

Não Clarinha, não perdeu tempo medindo amores.. foi aprendizagem, isso sim!

E se agora achas que estás a começar abrir os olhos, então, é sinal que estás a ficar mais madura, mais MULHER! Bem haja.

Beijinhos para a Clarinha MULHER,
CR/de

Caroline Farias disse...

tem selo para você lá no blog!
beeijo ;*

Anna Larissa. disse...

Como sempre você arrasando nos textos, né? E ainda mais quando se tratam dos nossos recalques.
O amor nunca deixe de existir, ele apenas muda, se molda à nova realidade em que foi inserida.
Seu blog está lindo, princesa!
E muito obrigada pelo selinho!
:DD

Te amo!

Lili disse...

*--*, essa vida nos sai com cada uma. não é mesmo ? ..aaah, tem selinho p. ti em meu blog (:

Ellen Damaris disse...

adeus sempre doooi ne ?
a distancia nao deixa agente sofrer ou deixa !
saudades ;x

beeeijos

Annick Melo (: disse...

Oi, blog de dialogos de filmes romanticos(etc)..
Acho que vai gostar ;D http://monologosencatados.blogspot.com/

Gostei do texto!

willa Albuquerque disse...

Minha linda!
Obrigada pelos selos. Pelo carinho!

Lindissímo esse texto!

Tem um presente no meu blog para você.
:)
Espero que goste!


Beijos;*

Cida disse...

Minha linda criança..que quer se tornar mulher..choro cada vez que leio seus textos, pq sei o que significam.. te amo filha, vc é admirável!

Fran disse...

Amada, tem selos pra você lá no blog :)

Rosi G.C. disse...

Seu blog é aconchegante!
Dá para sentir-se à vontade, como quando visitamos um amigo íntimo e querido. Parabéns pelas palavras, são apaixonantes.
Visita o meu blog, também, não esquece!
Beijão!

Tais Luso de Carvalho disse...

Oi, Clarinha, a gente nunca perde nada, a não ser a vida. Com tudo se aprende, e levamos os temas pra casa: como amar menos... Como amar mais... E como nos amar um pouquinho mais, também. Esse é o segredo, penso.

Beijos, amada.
Tais luso

Fernanda disse...

*os melhores finais, sempre doem*

o bom é saber que o reencontro faz toda a dor do final ser esquecida...

Novembro_ disse...

Tão doloroso és... Dói a alma,

Sempre muito lindo aqui... Belas são suas palavras. Um ótimo domingo.

Júuh . disse...

dizer adeus doi muito mesmo , eu que o diga ;D
aah , seu blog lindo lindo *-*
sou apaixonada por ele [:
beijo