segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Coisas de casal, só.


Acho tão complicado escutar as pessoas, elas abrem a boca pra falar dos relacionamentos e sentimentos alheios, sem saber que, na realidade, há mais coisas subentendidas do que se pode imaginar.
Ela nem gosta tanto dele assim - ele é um saco com ela - eles deveriam tomar mais cuidado.. São coisas que são de costume ouvir. E sabe qual é o problema?!
Quando temos um casal são duas pessoas e. O resto, como o nome já diz, é resto.
Quem julga bobagens geralmente não sente o calor do abraço, nem sabor do beijo, muito menos luz do sorriso. Não ouve as palavras de conforto e os inúúmeros apelidinhos de amor. Não comemora as realizações pessoais, não sente a ansiedade antes do encontro. Não sabe a falta que faz do telefone tocando de hora em hora, e as mensagens no meio da madrugada. Não sabe quanto é bom ter um domingo todo ocupado e muito bem aproveitado. Não sabe que é maravilhoso voltar pra casa e alguém gritar: - Oh, ele te ligou. Não sabe a serenidade que é ouvir aquele coração pulsando, nem mesmo se impressionar quando escuta 'aquela' música.
Aliás, seria impossível falar todas as vantagens que se tem em ter alguém. Quem julga isso - sendo bobagem ou não - está julgando, e a partir daí, é que damos as importâncias devidas para certos comentários.
'Assim como maior parte de nossas feridas tem origem em nossos relacionamentos, o mesmo acontece com a cura, e sei que quem olha de fora não percebe essa bênção.'

11 comentários:

Thiago L. disse...

E realmente... a gente nao sabe o que diz! Tem muita magia por trás das relações! e só quem sabe disso é quem tá dentro dela... beijão clarinha

Thiago L. disse...

e eu já ia esquecendo... você me prometeu o texto de CHE GUEVARA... CADÊÊ???? eu quero aquela pérola aqui!

Flávia Diniz. disse...

Oi querida, Obrigada ;)
Seu blog também é muito legal!!
estou te seguindo.

Beijinhos ;*

Lia disse...

Ás vezes eu julgo os outros, mas sei que é errado...
Obrigada por seguir meu blog vou seguir o seu também, gostei muito!

Lia disse...

Ás vezes eu julgo os outros, mas sei que é errado...
Obrigada por seguir meu blog vou seguir o seu também, gostei muito!

Fernanda disse...

concordo,como já diz o ditado: em 'briga de marido e mulher ' não se mete a colher,a vida é do casal e se eles estão juntos é por que se amam.

Tais Luso de Carvalho disse...

Oi, Clarinha, obrigada, deixei lá a resposta ao seu comentário. Estou seguindo seu blog, aliás muito legal.
Temos por hábito criticar; não importa se essas críticas são verdadeiras ou não. Mas o ser humano é assim: prefere destruir do que construir. Veja só se não somos muito mais criticados do que elogiados... Porém só nos tornaremos melhores se realmente reconhecermos nossos defeitos e tentar corrigir.
Um grande beijo
tais luso

Novembro_ disse...

Lindo o texto, escreve muito bem!

-- Eu concordo plenamente como o que dizes no post. A verdade é que eles se auto criticam por serem incapazes de viver a vida com intensidade...

Querida, pretendo voltar! Um beijo

Anna Larissa. disse...

Em cada texto você se supera, princesa! Com certeza, a pureza e a profundidade de um relacionamento só podem ser descritas por quem os vive. "Os outros são os outros e só."

Muita luz e inspiração pra você =)
e muito AMOR em tudo que você faz, sempre!
beijo amiga!

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Oi Clara!

Relacionamento é mesmo o que se passa entre duas pessoas e só. Impossível sabermos o que se passa...e aconselhar, hum, é complicado msm!

Obrigada pela visita e pelas palavras carinhosas. Te espero sempre por lá.

Bjs

Pedaços de Tempo disse...

Clara,

Todo aquele que fala do relacionamento e sentimento alheio, sem para o qual lhe tenha sido pedida a sua opinião, uma das duas: Ou é uma pessoa frustada e, sente-se melhor criticando a vida dos outros, como quem procura uma desculpa para o seu relacionamento, esse sim, provavelmente fracassado, ou então, são simplesmente pessoas coscuvilheiras, geralmente ignorantes que, infelizmente tiveram uma infância rica em maus exemplos e total ausência de bons modos de educação. E, como tal, fazem aquilo que sempre aprenderam ou ouviram..

Conversas de pessoas assim, a mim entra-me num ouvido a 80 Km/h e saí-me pelo outro a 120 km/h!!!

Gosto muito da forma como escreves, parabéns!

Beijinhos,
CR/de