terça-feira, 23 de novembro de 2010

Queria que doesse em você...

Queria que doesse em você.
A dor de todo amor desacreditado e descreditado que se instala em meu peito. A dor de uma promessa que você nem se importou se eu cumpri (te fazer feliz). A dor de pensar que todos os beijos e carinhos foram mentiras.. o abraço, calor, humor erótico, planos e realizações se destruírem porque você simplesmente não é o mesmo - mas continua se esforçando fingindo um grande amor.
Quando será que você vai perceber que não adianta... Eu sentia tua paixão, tua saudade desesperada, teu abraço caloroso e aguardado, tua cautela ao falar e agir.
Tantos minutos em um beijo hoje parece que são convertidos hoje em silêncio.
Esconderam nossas conversas demoradas, nossos beijos 'calientes', nossos planos e não encontro nosso futuro.
Queria que doesse em você alimentar o amor por outrem enquanto o outro se alimenta de ego (sem perceber, talvez). Queria que você sentisse, nem que por um minuto, a dor de querer voltar no tempo e prolongar um futuro com alguém que não existe mais...
Depois de tantas feridas, achei que tinha me vacinado pra desilusão.
Bobagem, as coisas estão acontecendo à um palmo do meu nariz e eu só enxergo tua boca.
Queria que doesse em você.
Impossível... Pra ser doído tem que ter verdade.

Um comentário:

Ana Larissa disse...

Se a dor não cabe na gente, de um jeito ou de outro, ela acaba atingindo outras pessoas. Pessoas que nos cercam e que compartilham dos nossos momentos.

Quando a dor não couber em você, divida ela com quem se importa contigo! =)

beijo, princesa.